terça-feira, 18 de abril de 2017

Peterson, Eugene
A VOCAÇÃO ESPIRITUAL DO PASTOR - Redescobrindo o chamado ministerial.
Traduzido por: Carlos Osvaldo Cardoso Pinto.
Título Original: Under the unpredictable plant: an exploration in vocational holiness.
Editora: TEXTUS Uma divisão da Editora Mundo Cristão – SP.
  Eugene Peterson e graduado pelo Seminário Teológico de Nova York e pela Universidade John Hopkins. É escrito e poeta. E autor de vários livros publicados pela editora Textus.
     Neste livro a vocação espiritual do pastor, Peterson propõe uma retomada ao ministério pastoral, buscando uma análise no livro de Jonas. Sua visão acerca da vocação pastoral passa, para em primeiro lugar; pela vida diária do pastor, e, sua vocação acerca de seu chamado especifica na obra de Deus. Peterson em um analise clinico pastoral, observa que nos últimos dias a uma invenção de valores no meio do povo de Deus. Pastores, que invés de serem pastores, e cuidarem de seus rebanhos estão virando; psicólogos, médicos, curandeiros e místicos. Menos pastores preocupados com sua chamada ministerial. Nos últimas (segundo Peterson) os pastores e lideres eclesiástico estão mais preocupados com tudo, menos com sua chamada ao ministério pastoral. Estão abandonando suas vocações e ordenações por um emprego bem mais visível, ou seja, por um grande emprego religioso.
     Ao comparar a vida do profeta Jonas com os nossos pastores, Peterson nos chama para uma busca aos primeiros passos, pois segundo ele a vocação pastoral não é mais difícil de seguir do que qualquer outra:
“Vocação no lar, na ciência, na agricultura, na educação e nos negócios, quando assumidas com compromissos biblicamente formulados, são igualmente exigentes e demandam a mesma espiritualidade”[1]
     Por que ser pastor é tão difícil para os pastores? Eugene Peterson responde esta pergunta diretamente aos seus leitores:
“Porque nós estamos afundados na idolatria”[2]
    Na vocação ao pastorado, se não nos cuidarmos, entraremos, nos becos da idolatria, a figura pastoral. Mais há outro lado da moeda, da mesma forma, a piedade não garante ao pastor um verdadeiro e autêntico trabalho no ministério pastoral. Jamais poderemos entra no ministério pensando que somos alguma coisa, pois quem está no controle e pode todas as coisas é Deus, e não nós.
    Ao pesquisar e analisar a sua vida e ministério pastoral, Peterson se deparou profundamente com o personagem bíblico Jonas, olhando a história e trazendo para os dias atuais, Deus o colocou em um grande momento de reflexão ministerial, e ele começou a olhar a  sua  verdadeira vocação ministério. A maravilhosa chamada ao pastorado e ao mesmo tempo desobediência de Jonas evoca de maneira intensa a experiência vocacional do pastor. Numa visão mais aprofundada da vocação pastoral, vemos que jamais acharemos uma congregação ou igreja totalmente perfeita:
“Contudo, se examinarmos de perto, não existe uma congregação perfeita”[3].
    Mais Peterson com isso não está negando que existem momentos de êxtases e glórias maravilhosas da parte de Deus. A santidade no ministério pastoral e desenvolvida em nossas vidas no dia-a-dia no convívio família e congregacional.
    A figura do profeta Jonas nos mostra muitas fezes o tipo de pastor que realmente somos. Com tudo isso na vida e no ministério de Jonas, tanto na sua desobediência e obediência, enxergamos o amor gracioso de Deus, e que Deus usa-nos para cumpri a Sua vontade soberana. O que então aprendemos com o livro de Jonas? Aprendemos muito! Pois o chamado ao ministério pastoral e muito mais que uma profissão ou uma vida marcada pelo marketing gospel. O real sentido da vocação pastoral é proclamamos a palavra de Deus de uma maneira limpa e correta, para que as pessoas possam manter contato com as realidades elementares e básicas de sua existência, para que saibam o que está acontecendo em suas vidas regeneradas. A vocação e um presente de Deus aos seus escolhidos. A vocação não e um produto consumível, não estamos para agradar os consumidores, e nem fornecedores, mais para agradar a pessoa de nosso Senhor e salvador Jesus Cristo. Chamais poderemos entre na vida de um pastor diretor de programação. E sim do chamado ao pastoreio do diretor espiritual:
“Com essa mudança de paradigma, tudo muda. O lugar em que estamos não é mais uma posição para exercício do controle; é um lugar de louvor, um local sagrado de adoração e mistério onde direcionamos nossa atenção a Deus”.[4]
    Este livro chamou-me à atenção de que temos que a cada dia, nos analisarmos e buscarmos com muito cuidado, fazer; a vontade de Deus e não a nossa! Que o ministério pastoral sempre será uma benção de Deus se fomos obedientes ao chamado e Deus em nossas vidas. Temos que aprender a sim como Jonas a linguagem da comunhão com a igreja e com o dono Jesus Cristo.

SPB - SEMINÁRIO PRESBITERIANO DE BRASÍLIA
BACHAREL EM TEOLOGIA
Poimênica: 1
Aluno: Silvio Ribeiro Fernandes.
Professor: Reverendo Geomário Moreira Carneiro.
Data: 14/09/2009
Resenha para obtenção do Título de Bacharel em Teologia.


[1] A vocação espiritual do pastor (Eugene Peterson) pg. 15.
[2] A vocação espiritual do pastor (Peterson Eugene) pg.16
[3] A vocação espiritual do pastor (Peterson) pg.27
[4] A vocação espiritual do pastor (Peterson Eugene) pg.157

Nenhum comentário:

Postar um comentário