sexta-feira, 15 de maio de 2020

Dia da Família

"Dia Internacional da Família" 15 de Maio

Na data de hoje, comemora-se o Dia Internacional da Família. Essa data foi definida em 20 de setembro de 1993, em deliberação da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Essa comemoração foi criada para reafirmar a importância do núcleo familiar na formação dos indivíduos inserido na sociedade.

·         O que é família?

Quem não tem ou nunca ouvir falar sobre família. No imaginário popular família é todos aqueles que foram constituídos entre os laços do matrimônio e, assim produziram suas sementes desta união gerando filhos. A escritora Danda Prado no seu livro “O que é FAMÍLIA, escreveu:

A palavra FAMÍLIA, no sentido popular e nos dicionários, significa pessoas aparentadas que vivem em geral na mesma casa, particularmente o pai, a mãe e os filhos. Ou ainda, pessoas de mesmo sangue, ascendência, linhagem, estirpe ou admitidos por adoção (DANTA, 1985).

Família no início da criação foi um grande projeto do nosso Trino-Deus, vemos o cuidado do criador ao criar o primeiro casal no jardim no Éden: “Então, formou o Senhor Deus o homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente” (Gn 2.7). Assim Deus cria do pó da terra o homem segundo a sua imagem e semelhança. E assim também da costela do homem, Deus cria sua companheira a mulher: “Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea” (Gn 2.18). Ambos tinham uma função designada pelo próprio Deus: “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra” (Gn 1.28b). Uma ordem do criador para primeira família sobre a terra.

Assim nosso Deus disse: “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne” (Gn 2.24). Hoje celebramos a Deus pela existência da família, um dos seus grandes e belíssimos projetos foi nos abençoar com uma família. Observa-se que nesses tempos sombrios a família tem cada dia ser deteriorado. Homens truculentos, mulheres sem vínculos familiares, filhos desobedientes aos pais etc. No mundo de incertezas, a única esperança para a família, ainda é, e sempre será JESUS CRISTO! Aquele que esteve com o Deus-Pai, e o Deus-Espírito Santo na criação; continua a lutar pelo projeto divino chamado FAMÍLIA.

Que a nossa família esteja sobre o alicerce verdadeiro: CRISTO e, há serviço do Reino de Deus. Como Josué declarou ao povo de Israel, no final de sua vida: “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24.15c).

Que nesta data especial possamos lembrar da Família como um grande presente e projeto de Deus para uma sociedade mais justa e harmonizada nos princípios das Escrituras Sagradas. Que Deus proteja nosso maior patrimônio como igreja e sociedade, NOSSA FAMÍLIA.

Por: Reverendo Silvio Fernandes



sexta-feira, 1 de maio de 2020

A POLITICAGEM E SEUS ÍDOLOS


Uma provocação! A idolatria política cristã viu seus "ídolos de carne" sucumbirem. Quem está certo? Quem está errado? Nesse jogo de poder; o povo é apenas massa de manobra. "Evangélicos ou Gospel" (sátira) estão na sua maioria encurralados em seus próprios pensamentos abstratos.
Com toda essa pandemia política; quem deveria trazer paz e calmaria ao mundo com a mensagem do evangelho, são aqueles que justamente estão brigando uns com os outros, por causa de suas visões político-partidárias, pois esses julgam conhecer a verdade absoluta na área da politicagem, de um lado “Satanás da esquerda, do outro, o “messias ungido da direita” (dito popular na gíria dos “crentes”).

Significado de Politicagem
Significado de Idolatria
(Substantivo feminino)
1.    “Política de quem tem o objetivo satisfazer interesses pessoais, definida pela troca de favores particulares em benefício próprio.
2.    Política reles e mesquinha pautada em interesses pessoais.
3.    Grupo político ou político adepto dessa política”.[1]

(Substantivo feminino)
1.    “Ação de cultuar ídolos; o culto que se faz aos ídolos.
2.    [Figurado] Excesso de amor; admiração demonstrada de maneira exagerada.
3.    [Religião] O culto das imagens e/ou das esculturas de santos”.[2]


O evangelho verdadeiro pregado e ensinado pelo nosso Senhor e Salvador: “Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (João 14:6) continua sendo o mesmo, mas, tem sido esquecido por aqueles que deveriam levar a mensagem deixada pelo seu mestre: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação dos séculos” (Mateus 28.19-20).
Aprendam com "seus erros" o único que pode trazer a verdadeira paz, já realizou isso na CRUZ do Calvário: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize” (João 14.27). Você pode, deve participar de suas obrigações sociais, escolher seu lado político e partidário, mas nunca esquecer seus princípios bíblicos (Mt 22.29; Jo 5.39). Se você escolheu seu lado, respeite opiniões contrarias as suas. Lembre-se: Na Politicagem não há verdade absoluta! Entre o seu bolso e do político, sempre será o dele. Entre a sua família e do político, será a dele etc.
A mensagem do evangelho de Jesus não pertence a direita, e muito menos a esquerda, não carregar placa social, cor, preferencias ideológicas. Vamos fazer, e ser a diferença. Lembre-se das palavras de JESUS: “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros” (João 13.35).
Carlos Henrique de Paula diz:
"Temos de mostrar a necessidade de abrir mão de algo que está se tornando comum no Brasil: acoplar uma ideologia política ao evangelho e não reconhecer como irmão mais ninguém que esteja fora de sua chave ideológica. Rótulos como "marxismo na missão integral", conservadorismo neoliberal da direita evangélica" e outros similares apenas denunciam a presença de obstáculos à harmonia evangélica"[3]
Vamos unir as nossas forças, juntos somos mais fortes. As palavras do Apóstolo Paulo para a igreja em Éfeso:
“Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz. Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós” (Efésios 4.1-6).

Por: Reverendo Silvio Ribeiro



[3] Dulci, Pedro (org.) – Igreja Sinfônica. Pg. 37.

sexta-feira, 10 de abril de 2020

Meus dez livros mais impactantes "lidos em 2019"


1.    Livro: Da Parte de Deus e Na Presença de Deus

Autor: Sugel Michelén
Número de páginas: 334.
Observação: "Meu preferido de 2019". Excelente obra na área de Pregação Expositiva. Um dos melhores para iniciantes e mestres.


2.    Livro: O Texto Primeiro – Uma hermenêutica teológica para pregação.
Autor: Abraham Kuruvilla
Número de páginas: 302.
Observação: Fenomenal, excelente obra para expositores da palavra. Leitura envolvente e desafiadora.


3.    Livro: Evangelização Via Relacionamentos.
Autor: David Allen Bledsoe
Número de páginas: 141.
Obervação: Excelentíssima obra para igreja na área do evangelismo e evangelização. Leitura obrigatória para líderes envolvidos com a igreja local.  



4.    Livro: 9 Marcas de Uma Igreja Saudável
Autor: Mark Dever
Número de páginas: 307.
Observação: Leitura altamente recomendável para 'toda" a igreja local, bem como seus líderes comprometidos com a pureza da igreja de Cristo.



5.    Livro: Guerra de Cosmovisões
Autor: Gary Vaterlaus
Número de páginas: 150.
Observação: Livro com um grau altamente complexo, mas ao mesmo tempo cativante e esclarecedor.


6.    Livro: O Cristo dos Pactos
Autor: O. Palmer Robertson
Número de páginas: 239.
Observação: Um dos melhores para o entendimento á respeito dos pactos (alianças) de Deus com seu povo escolhido.


7.    Livro: O Pentecostal Reformado
Autor: Walter Macalister & John Macalister
Número de páginas: 264.
Observação: Livro muito criticado no meio reformado, amei sua leitura; e indico essa grande obra para todos que passaram do pentecostalismo para a fé reformada.


8.    Livro: Cristianismo Puro & Simples
Autor: C.S. Lewis
Número de páginas: 286.
Observação: Sem comentários para este clássico do C.S. Lewis. Altamente recomendável para qualquer cristão.


9.    Livro: Dando Nome ao Elefante – Cosmovisão como um conceito
Autor: James W. Sire.
Número de páginas: 245.
Observação: Leitura emocionante e cativante. Um dos melhores na área de cosmovisão segundo as Escrituras.



10. Livro: Tornando-se uma igreja Acolhedora – Como criar um ministério de acolhimento.
Autor: Thom S. Rainer
Número de páginas: 109.
Observação: Um tema que desafia a igreja a rever seus conceitos enquanto está em sua peregrinação na terra.








Por: Leitor Reverendo Silvio Ribeiro

A MORTE QUE TROUXE VIDA

A Morte que Trouxe Vida

“Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados”
(Isaías 53.5)
Qual seria o benefício da sua morte? Se você morresse hoje traria algum benefício para sua família? A morte pode trazer paz? Alegria? Ou esperança?
Segundo o dicionário a palavra morte significa (substantivo feminino): 1. interrupção definitiva da vida de um organismo. 2. fim da vida humana.
Como a crucificação e morte de Jesus pode trazer algum benefício? O tema central da Bíblia Sagrada gira em torno da pessoa, e da obra de nosso Senhor Jesus Cristo: Examinai as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim (Jo 5.39). A morte de Cristo tem significado!
Deus é um Deus de propósito e determinação. O núcleo central de toda a história é o propósito redentor de Deus que está centrado na Pessoa e obra do Senhor Jesus Cristo — a redenção dos pecadores por meio do sangue da cruz para a glória de Deus. A redenção encontrará sua máxima expressão em uma humanidade dos eleitos redimidos e em um universo restaurado (Isaías 65:17; 2 Pedro 3:13; Apocalipse 21:5).[1]
Observamos no livro do Êxodo a instituição da Páscoa Judaica sobre a orientação de Deus e liderança de Moisés:
Desta maneira o comereis: lombos cingidos, sandálias nos pés e cajado na mão; comê-lo-eis à pressa; é a páscoa do Senhor. Porque, naquela noite, passarei pela terra do Egito e ferirei na terra do Egito todos os primogênitos, desde os homens até aos animais; executarei juízo sobre todos os deuses do Egito. Eu sou o Senhor (Êx 12.11,12).
Na instituição da páscoa Deus mostrou visivelmente seu poder Soberano usando de justiça para com Faraó e seu povo, e ao mesmo tempo; usando de misericórdia para com seu povo escolhido Israel (Êx 12.27). Segundo o rito de páscoa, o animal para o sacrifício deveria ser segundo relatado pelo próprio Iahwer: O cordeiro será sem defeito, macho de um ano; podereis tomar um cordeiro ou um cabrito (Êx 12.5). Desse animal morto, deveriam tomar do sangue para passarem na verga e nos umbrais de suas respectivas casas (Êx 12.7). Assim Iahweh cumpriu seus desígnios e derramou a décima praga: morte dos primogênitos do Egito (Êx 12.29,30).
Nesta incrível história de redenção, observamos os cuidados de Deus para com seu povo da aliança que começa com Abraão (Gn 12.1-9) e tem seu ápice na crucificação (Mt 27.33-44), morte (Mt 27.45-56) e ressurreição de seu filho “Jesus Cristo” (Mt 28.1-20). A morte de nosso Salvador Jesus Cristo tem um propósito redentivo, pois sem o cordeiro pascoal, não poderia haver salvação ao mundo caído: Assim também Cristo, oferecendo-se uma só vez para levar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação (Hb 9:28). Cristo é a nossa páscoa!
O sangue na antiga aliança simbolizava purificação, sem derramamento de sangue, não poderia haver a remissão dos pecados (Lv 6.1-7; 17.11). Todos os rituais de sacrifícios com sangue no antigo testamento apontavam para Cruz nela olhamos o verdadeiro amor de Deus posto em prática pelo seu povo escolhido (Rm 5.8). Deus escolhe um cordeiro para remover de uma vez por todas os pecados do seu povo (Jo 10.1-18), mas, onde achar um sacrifício perfeito? Aonde encontrar alguém que poderia cumprir todas as exigências da lei? A Bíblia responde da seguinte maneira: A seguir, Jesus lhe disse: São estas palavras que eu vos falei, estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos (Lc 24.44). Nosso Salvador “O Cristo de Deus” honrou, obedeceu e cumpriu todas às exigências da lei mosaica, em total obediência perfeita para que uma maldição não fosse imposta (Gl 3.10,13).
Aplicação para minha vida: Mas longe esteja de mim gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu, para o mundo (Gl 6.14). A mensagem da Cruz de nosso Salvador já falou com você? Você consegue visualizar, enxergar, observar ou reter a mensagem da Cruz? O Sangue precioso derramado na Cruz fala, prega, anuncia o amor de Deus ao mundo, veja:
Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito filho de Deus (Jo 3.16-18).
A morte de Cristo trouxe vida em abundância: Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância (Jo 10.10 parte b). O homem estava morto, mas, Jesus: Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados (Ef 2.1). Somente o sangue puro e incontaminado de nosso Salvador Jesus Cristo pode lavar, regenerar, purificar, perdoar, santificar, salvar e acabar com o pecado e a morte e dar-nos vida é salvação eterna. O próprio Filho do altíssimo; tornou-se sacrifício para dar-nos a vida de que estávamos privados, por causa do pecado (Rm 3.23; 6.23). Jesus o verdadeiro sentido da Páscoa.

Por: Reverendo Silvio Ribeiro
Data: 10/04/2020.



[1]Downig, William R - O Propósito Redentivo e o Redentor. – Pág. 4.