quinta-feira, 25 de maio de 2017

Resenha
Silvio Ribeiro

Costa, Hermisten Maia. Pereira
Raízes da Teologia Contemporânea
Editora Cultura Cristã – São Paulo
Edição: 2004.

Hermisten Maia é Bacharel em Teologia (SPS, 1979) e licenciado em filosofia (PUC, 1982) e educação (Mackenzie, 2003) Mestre (1999) e Doutor em ciências da religião (UMSP, 2003) e pastor da Igreja Presbiteriana Brasil.
Em assuntos sobre as raízes da teologia e diversos pensamentos que contribuíram para a teologia contemporânea, ele é um dos nomes de referencia hoje no Brasil, e se não dizer no mundo. É muito respeitado nos seminários e no meio acadêmico em geral, por sua vasta experiência sobre o tema sugerido.
Esta obra preocupa-se com o meio acadêmico e teológico, na esfera dos pensamentos que contribuíram para a formação da nossa teologia.  Como o próprio diz;

Teologia Contemporânea é o estudo analítico-crítico das manifestações teológicas surgidas após a Reforma e, em geral, contrárias ao sistema dela.[1]

Este compêndio teológico tem inicio com uma breve amostra da construção do pensamento moderno, e suas influências. Podemos vê com muita riqueza como este movimento contribuiu de alguma forma para a construção da teologia. Hermisten aprofunda-se no estudo analítico das varias formas de pensar e fazer teologia, sugeridas após o período da reforma protestante, suas formas gerais e contrarias a este movimento abençoado por Deus.
Hermisten classifica alguns elementos que revelam a grande importância do estudo da teologia contemporânea. Compreendendo a importância da historia da igreja para fundamentar as raízes da teologia contemporânea. Ele tenta mostra a perspectiva de Deus como senhor e soberano dirigindo de uma forma sabia e coerente a sua a história.
Hermisten fala também de grandes pregadores que em nome de Deus fizeram à diferença, e contribuíram para retornamos a direção de Deus. Mostra muitos períodos em que a igreja era a principal vilã da história e dominadora (para alguns). Mas apesar disso as pessoas ainda confiavam no clérigo religioso e se sentiam confortados e acolhidos por eles.
Certa ênfase do autor no aspecto das confissões ministradas pela igreja é analisada com muita atenção.
Costa relata um pouco também sobre as influências do Humanismo mostrando o sentido racional das coisas que emerge o homem para razão, educando-o para pensar e agir sobre a natureza, o mundo e o próprio se humano, enquanto na Idade Média o homem só tinha valor quando fazia parte de um determinado grupo dentro de seu contexto.
Hermisten Maia nos leva a uma reflexão profunda sobre a importância do estudo da teologia contemporânea, indicando alguns dos principais elementos que nos estimulam para uma profunda necessidade de uma teologia baseada em Deus e nas escrituras sagradas. Chama-nos para sabermos tirar algumas lições importantes, até mesmo de quem aparentemente discordamos. Maia também aborda a relação da história e a teologia. Maia diz sobre o historiador e os fatos, que os dois têm que manterem uma relação de identidade e compromisso.
Algumas partes na leitura o autor deixa bem claro que toda verdade é verdade absoluta quando esta verdade vem do próprio Deus! Maia deixa bem claro não só na vida dos grandes reformadores, mas, na vida de toda a igreja e humanidade que, as escrituras sagradas, devem ocupar o lugar de destaque e, tema central, de nossas vidas. Maia introduz a reforma e seus fundamentos numa tradição altamente confessional e muito importante para a construção do pensamento cristão.
Com uma escrita analítica Maia procura reconstituir os elementos que contribuíram (por que são vários) para a formação do pensamento teológico Ocidental.
Comenta o sistema Brasileiro religioso, ainda que seja muito pouco.
Achei a leitura um pouco repetitiva, complicada e com muita informação e
ênfase demasiadas em temas não muito bons para uma reflexão maior para uma teologia clara e objetiva. Contudo são muitas informações relevantes para seminaristas e estudantes, e amantes da teologia contemporânea. Apesar das diferenças altamente complexas debatidas, analisados e abordados neste livro, nos leva para uma reflexão, para uma vida dentro da sociedade e da própria igreja. Que temos que a cada dia defender a bandeira do “Reino dos Céus”.



“Esperar que Deus faça tudo enquanto eu não faço nada isso não é fé e sim superstição”
(Marthin Luther King Jr.)




“Por que melhor é a sabedoria do que jóias, e de tudo o que se deseja nada se pode comparar com ela”.
(Provérbios 8:11)

                                                                                                              Por: Reverendo Silvio Ribeiro 

                                             

[1] Hermisten Maia – Raízes da Teologia Contemporânea (página: 15 Introdução)

Nenhum comentário:

Postar um comentário