terça-feira, 14 de abril de 2015

A Privatização da Igreja
A chamada igreja emergente e seu evangelho inovador, temos visto nos dias atuais uma maneira diferenciada de evangelho que nem de longe parece as boas novas pregadas por JESUS CRISTO. Vemos, lobos disfarçados de ovelhas privatizando a palavra de DEUS (Mt 7:21-23).  JESUS em seu ministério sempre pregou santidade, arrependimento, renuncia, perdão e vida correta diante de DEUS e da sociedade (Mt 5 ao 8; Ef 4: 17-20). Mais o que se ver hoje em dia e o oposto daquilo que JESUS pregou e ensinou aos seus discípulos.  O evangelho foi privatizado ou não? Vamos tentar responder está fácil pergunta, digo fácil porque o evangelho de hoje e visível quando falamos com a maioria da liderança cristã atual. 
Segundo o dicionário a palavra privatização significa: Pri•va•ti•zar – Conjugar (latim privatus, -a, -um, privado + -izar) verbo transitivo. Passar para domínio de empresa privada o que era do poder do Estado; proceder à privatização. ≠ ESTATIZAR, NACIONALIZA
 
Se a palavra privatizar significa passar para o domínio do privado, aquilo que era público, então segue-se que estamos passando aquilo que era do poder de JESUS CRISTO (ou achamos que estamos), para nosso domínio ou seja, o evangelho que é para a santidade, arrependimento e libertação do homem, o próprio homem o transformou em um cativeiro para sua própria destruição (Jo 10:10). A pergunta então continua: Temos o direito de privatizar a igreja de JESUS CRISTO? A resposta para esse emblemático problema está na própria pergunta, a igreja é de quem? De JESUS CRISTO (Ef 1:22-23). Então o homem não tem direito de distorcer, modificar e nem adulterar as Escrituras Sagradas, pois uma fez sendo feito o mesmo o faz para a sua própria condenação (Ap 22:18-20). Vemos a doutrina, o discipulado, o estudo Bíblico, nem ficando em segundo plano, mas nem passa na cabeça da liderança atual tal ideia, pois o mesmo (estudo Bíblico) só traz problemas (segundo eles). Falo pela experiência pastoral adquirida com pouco tempo de pastoreio. Que as pessoas querem palavras de bênçãos e prosperidades, não querem se confrontadas pela Palavra de DEUS, quando o pastor ou líder falar a verdade contida na Bíblia, se o ouvinte não gosta da mensagem ele pegar e vai congregar em outra igreja (carregado de conceitos próprios e não Bíblico) e muitos pastores na ânsia numerológica (a quantidade de membros dita sua intimidade com DEUS) de ter muitos membros em suas igrejas, se que perguntam; qual foi motivo da pessoa saiu da sua antiga denominação, que foram: insubmissão e falta de palavras que veem massagearem seu ego maligno (Jr 17:9).
A verdadeira igreja de CRISTO na terra precisa tomar uma nova (ou velha) direção, a Bíblia Sagrada! Precisamos urgentemente de uma unidade entre as igrejas historicas protestantes (evangélicas), e como começar isso? Falando a mesma linguagem! Devemos lutar pelos valores Bíblico Cristão, e vencer os males que assolam a igreja. A privatização do evangelho na verdade e um engano maligno para destruir os valores essenciais da fé cristã, esses valores como: Estudos Bíblicos, disciplina, unidade, oração sacramentos (coletiva como corpo de CRISTO), congregar e etc. Não poderá jamais se negociado e nem privatizado em nome da fama “Gospel”. Precisamos mas que urgente, trabalhar para que o verdadeiro evangelho de JESUS CRISTO, retorne aos púlpitos de nossas igrejas, e que o povo que se reuni para adoração nos templos possa degustar a verdadeira Palavra de DEUS sem misturar e sem fermento doutrinário da privatização da igreja de JESUS CRISTO

Somente a DEUS a glória!

Por: Reverendo: Silvio Ribeiro

(Teólogo e Pastor da Igreja Cristã Presbiteriana em Samambaia Sul -DF).

Um comentário: